Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O blog do Fi

um português em Berlim

O blog do Fi

um português em Berlim

Em terra também se voa

Filipe B., 01.11.22

escolinha.jpg

 

Hoje seria o meu primeiro dia como desempregado aqui em Berlim (e é), mas como eu não tenho um minuto de descanso, lá fui conhecer a minha nova escola e assinar o meu contracto para os estudos (foi mesmo uma coincidência). A minha avó sempre me disse "Tu és incansável, tu chegas a todo o lado". E ela tinha tanta razão. Ontem às 9 da manhã entrei na sala de reuniões da agência de emprego (como se diz aqui).

Ia todo nervoso, por ter que falar só alemão, mas como o stress e os nervos às vezes dão um impulso necessário, lá falei e em menos de 1 minuto já tinha convencido a minha responsável de que queria mesmo mesmo mesmo fazer este curso. E foi assim, até falando o meu alemão cheio de erros, que, confiante, cheguei e consegui o que queria. De Comissário de Bordo a Web Developer (ou programador) é uma distância do caraças!

Mas eu também nunca tinha sonhado ser Comissário de Bordo e fui. Tal como nunca tinha pensado viver em Itália e vivi. Tal como nunca tinha imaginado sair do meu cantinho encantado e saí. E os meus pais bem dizem e repetem. "Tu desde que saíste de casa aos 18 anos para ires para a Covilhã, nunca mais ninguém te parou". Um explorador é assim, por mais que explore, nunca dá a exploração por concluída. E se há coisa que a pandemia e o mercado de trabalho capitalista e devorador que nós temos me ensinaram é que a vida é muito curta para se ser só uma coisa. E eu já fui tantas, graças a deus, e sinto-me feliz por encontrar satisfação em tentar sempre algo novo e em não me conformar facilmente. E como me disse a minha responsável lá no centro de emprego: "Agora são... novos voos. E em terra também se voa".

Também não foi só merito meu, tive sorte com quem me calhou. Uma senhora adorável e prestável. E vá, antes de começar o curso, para a semana vou de férias, que bem mereço. No final das contas tenho muito a agradecer a todo o apoio que tive, de amigos, família, profissional (terapia foi essencial neste processo horrível e longo dos despedimentos na empresa), e ontem e hoje tive tanto orgulho em mim e em nós e no que conseguimos fazer. 

3 comentários

Comentar post