Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O blog do Fi

um português em Berlim

O blog do Fi

um português em Berlim

A culpa

Filipe B., 03.12.22

Eu em Berlim

Escrevo isto depois de ter visto este vídeo da Uyen Ninh

Ela tornou-se famosa no Tik Tok e Instagram por fazer vídeos sobre a sua vida de emigrante na Alemanha. E 99% dos vídeos são piadas sobre o choque cultural, o mau humor dos alemães, etc, mas de vez em quando vem um vídeo destes que nos faz reflectir. 

Ela fala da culpa. Ou melhor, ela refere-se ao sentimento de culpa por vivermos num país com melhores condições a nível social, da saúde, da educação, quando sabemos que as pessoas que deixamos para trás vivem em condições piores. E no meu caso, atentem, estou a falar de dois países europeus (Portugal e Alemanha) que, em muitas coisas, não estão assim tão diferentes. A Uyen vem do Vietname e não se pode comparar, com a minha, a enorme diferença que haverá no caso dela. 

Mas sim. Ainda há muitas diferenças. Dou um exemplo. Neste momento, como já sabem pelo que contei no blog, estou desempregado, porque fiz um acordo com a empresa, perante novos despedimentos, e saí. A tranquilidade e segurança que sinto agora e o apoio que tenho a nível monetário e em relação aos meus futuros estudos nunca existiu quando, por razões bem mais injustas, fiquei desempregado em Portugal. Lá foi dramático, depressivo, tive que depender dos meus pais.

Podia agora escrever 10 mil palavras sobre como os direitos dos trabalhadores são realmente importantes aqui... mas vá.

E portanto, sim, também me passa pela cabeça muitas vezes esse pensamento. A culpa é real.

Depois, para me tranquilizar, digo sempre a mim mesmo "Tu também sacrificaste muitas coisas para ter isto": o bom tempo e o Sol do teu país. A comida. O calor do povo. A facilidade de depender SÓ da tua língua materna.

E, acreditem, isto faz tanta diferença no teu dia-a-dia. Até no cansaço, exaustão, isso da língua tem um peso tão grande. Felizmente, graças ao meu esforço, estudo e investimento em escolas e aulas privadas, isso hoje já é um problema do passado.

Bem, poderia escrever um livro sobre os prós e contras disto tudo, mas fica para outra altura. A culpa que morra sozinha. 

2 comentários

Comentar post